ANIVERSARIANTES DO MÊS

ANIVERSARIANTES DO MÊS

Tradutor - Translator - Traduttore - Traductor - Traducteur - Übersetzer - переводчик - 翻译 - 翻訳者

CAPÍTULO XXXVIII




Como São Francisco conheceu em espírito que Frei Elias estava condenado e devia morrer fora da Ordem; razão por que, a pedido de Frei Elias fez oração a Cristo por ele e foi atendido. 

Numa ocasião em que São Francisco e Frei Elias moravam juntos, de família, foi revelado por Deus a São Francisco que Frei Elias estava condenado e devia apostatar da Ordem e finalmente morrer fora da Ordem. Por esse motivo, São Francisco concebeu uma tal displicência para com ele, pois não lhe falava nem conversava com ele. E se acontecia alguma vez que Frei Elias fosse na sua direção, mudava o caminho e ia para outro lugar, para não se encontrar com ele. Frei Elias começou a perceber isso e a compreender que São Francisco tinha desprazer por ele. Então, querendo saber a razão, um dia se aproximou de São Francisco para lhe falar. Como São Francisco se esquivou, Frei Elias reteve-o cortesmente à força e começou a pedir discretamente que lhe aprouvesse contar qual o motivo que o levava a assim se esquivar de sua companhia e a não falara com ele. São Francisco respondeu-lhe: “O motivo é este: porque me foi revelado por Deus que tu, pelos teus pecados, apostatarás da Ordem e morrerás fora da Ordem, e Deus também me revelou que tu serás condenado”. 


Ouvindo isso, Frei Elias disse assim: “Pai meu reverendo, eu te peço pelo amor de Cristo que não te esquives de mim por causa disso, nem me descartes mas, como um bom pastor, a exemplo de Cristo, reencontra e acolhe a ovelha que vai perecer se não a ajudares. Que ele revogue a sentença da minha condenação, porque está escrito que Deus sabe mudar a sentença, se o pecador corrige o seu pecado. 

E eu tenho tanta fé nas tuas orações que, se eu estivesse no meio do inferno, e tu orasses por mim a Deus, eu sentiria algum refrigério. Por isso eu ainda te peço que recomendes a Deus eu que sou pecador, porque Deus veio para salvar os pecadores, que me receba na sua misericórdia”. E Frei Elias dizia isso com grande devoção e lágrimas. Por isso São Francisco, como um pai piedoso, prometeu que ia rezar a Deus por ele. E assim o fez. 

E orando muito devotamente a Deus por ele, soube por revelação que sua oração tinha sido atendida quanto à revogação da sentença da condenação de Frei Elias, que finalmente sua alma não seria condenada, mas que por certo ele sairia da Ordem e morreria fora da Ordem. E assim aconteceu, pois, rebelando-se contra a Igreja Frederico, rei da Sicília, e estando excomungado pelo Papa ele e quem lhe desse auxílio e conselho, o dito Frei Elias, que era tido como um dos homens mais sábios do mundo, convidado pelo dito rei Frederico, aproximou-se dele e se tornou rebelde à Igreja e apóstata da Ordem. Por esse motivo foi excomungado pelo Papa e privado do hábito de São Francisco. 

E, estando assim excomungado, ficou gravemente doente. Ouvindo falar dessa doença, um de seus irmãos, que era frade leigo, que tinha ficado na Ordem e era homem de boa vida e honestidade, foi visitá-lo e, entre uma e outras coisas disse-lhe: “Meu querido irmão, é muito doloroso para mim que tu estejas excomungado e fora da tua Ordem, e assim vais morrer. Mas se tu visses um caminho ou modo pelo qual eu te pudesse tirar deste perigo, de boa vontade eu assumiria por ti essa fadiga”. 

Frei Elias respondeu: “Meu irmão, não vejo outro modo a não ser que tu vás ao Papa e lhe peças que, pelo amor de Deus e de São Francisco seu servo, por cujos ensinamentos eu abandonei o mundo, me absolva da excomunhão e me restitua o hábito da religião”. 

Seu irmão disse que ia cuidar disso de muito boa vontade. Partiu, foi aos pés do santo Papa, pedindo-lhe humildemente que fizesse graça ao seu irmão pelo amor de Cristo e de São Francisco seu servo. E como aprouve a Deus, o Papa lho concedeu: que voltasse e, se encontrasse Frei Elias vivo, o absolvesse da sua parte da excomunhão e lhe restituísse o hábito. 

Então ele foi embora todo alegre e voltou com muita pressa a Frei Elias. E, encontrando-o vivo, mas quase na hora da morte. Absolveu-o da excomunhão e lhe vestiu outra vez o hábito. Frei Elias passou desta vida e sua alma foi salva pelos méritos de São Francisco e pela sua oração, na qual Frei Elias tinha tido tanta esperança. 

Para louvor de Jesus Cristo e do pobrezinho Francisco. Amém.

Nenhum comentário:

VISITANTES

QUEM SOMOS?

Com certeza você já ouviu falar de nós. SOMOS OS FRANCISCANOS, os irmãos menores. Com estas três palavras quase que lhe dissemos tudo: somos seguidores de Jesus Cristo ao modo de São Francisco de Assis; procuramos ser irmãos de todos, homens e mulheres, crianças e adultos, plantas e animais; e, além disso, com humildade, alegria e com poucas coisas materiais. Outra coisa que lhe convém saber, é que nós, franciscanos, trabalhamos nas mais variadas áreas, conforme as competências e formação de cada um e as necessidades da Ordem, da Igreja e do povo de Deus no mundo. Procuramos ser peregrinos e forasteiros, pacíficos e humildes, e assim vamos pelo mundo sem nada de próprio, trabalhando com fidelidade e devoção, conforme nos exigem as realidades e necessidades do nosso tempo. Seguindo os passos de Cristo pobre, humilde e crucificado, que reuniu os discípulos em torno de si e lhes lavou os pés.

Nós, frades menores, vivemos em fraternidade, no serviço e no dom recíproco. Queremos continuar anunciando a mensagem de Paz e Bem ao mundo na simplicidade e união fraterna.

Tem um lugar para você aqui também!

Conhecer não te compromete!

Acertar te realiza!

DEIXE AQUI O SEU E-MAIL PARA RECEBER NOTÍCIAS

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores