ANIVERSARIANTES DO MÊS

ANIVERSARIANTES DO MÊS

Tradutor - Translator - Traduttore - Traductor - Traducteur - Übersetzer - переводчик - 翻译 - 翻訳者

CAPÍTULO XXVII


Como São Francisco converteu dois estudantes em Bolonha, e eles se fizeram frades, e depois tirou uma tentação das costas de um deles. 

Chegando uma vez São Francisco à cidade de Bolonha, todo o povo da cidade corria para vê-lo; e era tão grande a multidão, que a muito custo as pessoas conseguiam chegar à praça. Quando a praça estava cheia de homens, de mulheres e de estudantes, São Francisco levantou-se no meio do lugar, no alto, e começou a pregar o que o Espírito Santo lhe inspirava. E pregava tão maravilhosamente que mais parecia que era um Anjo e não um homem que estava pregando, e suas palavras pareciam celestiais como flechas agudas, que transpassavam o coração dos ouvintes, que naquela pregação uma grande multidão de homens e de mulheres converteram-se para a penitência.
Entre eles houve dois nobres estudantes da Marca de Ancona; um chamava-se Peregrino e o outro Rinieri; os dois, tocados no coração pela divina inspiração através da dita pregação, foram a São Francisco, dizendo que estavam decididos a abandonar o mundo e ser dos seus frades. Então São Francisco, sabendo por revelação que eles eram enviados por Deus e que na Ordem deviam ter uma vida santa, e considerando o seu grande fervor, recebeu-os alegremente, dizendo-lhes: “Tu, Peregrino, mantém na Ordem o caminho da humildade; e tu, Frei Rinieri, serve aos frades”.
E assim foi: pois Frei Peregrino nunca quis ser clérigo, mas leigo, embora fosse muito letrado e grande decretalista; por essa humildade chegou a grande perfeição de virtude, pois Frei Bernardo, primogênito de São Francisco, disse dele que era um dos mais perfeitos frades deste mundo. E, finalmente, o dito Frei Peregrino, cheio de virtude, passou desta vida para a vida bem-aventurada, com muitos milagres antes e depois da morte. E o dito Frei Rinieri servia devota e fielmente aos frades, vivendo em grande santidade e humildade; e tornou-se muito familiar de São Francisco, e São Francisco lhe revelava muitos segredos. Tendo sido feito ministro da Marca de Ancona, dirigiu-a durante muito tempo em grandíssima paz e discrição.
Depois de algum tempo, Deus lhe permitiu uma grande tentação em sua alma. Por isso, ele, atribulado e angustiado, afligia-se muito com jejuns, disciplinas, lágrimas e orações de dia e de noite, mas não conseguia afastar a tentação. Muitas vezes ficado bem desesperado, pois se achava, por causa da tentação, abandonado por Deus. Quando estava nesse desespero, como último remédio resolveu ir a São Francisco, pensando assim: “Se São Francisco me mostrar uma boa cara e familiaridade, como costuma, eu creio que Deus ainda vai ter piedade de mim; mas, se não, será um sinal de que eu serei abandonado por Deus”. Por isso moveu-se e foi falar com São Francisco.
O qual, naquele tempo, estava no palácio do bispo de Assis, gravemente doente. E Deus lhe revelou todo o modo da tentação e do desespero de Frei Rinieri, bem como seu propósito e sua vinda. Na mesma hora, São Francisco chamou Frei Leão e Frei Masseo, e lhes disse: “Ide logo ao encontro do meu filho querido Frei Rinieri, e abraçai-o por mim, saudai-o e dizei que entre todos os frades de há no mundo eu tenho um amor especial por ele”.
Eles foram, encontraram Frei Rinieri no caminho e o abraçaram, dizendo-lhe o que São Francisco tinha mandado. Por causa disso, ele teve tanta consolação e doçura ma alma, que quase saiu de si. E dando graças a Deus com todo o coração, foi e chegou ao lugar onde São Francisco jazia enfermo. E embora São Francisco estivesse gravemente doente, ouvindo dizer que Frei Rinieri chegara, levantou-se, foi ao seu encontro e o abraçou docemente, dizendo: “Meu filho querido, Frei Rinieri, entre todos os frades que há no mundo, eu te amo de modo especial”. Dito isso, fez-lhe o sinal d santa cruz na testa e o beijou. Depois lhe disse: “Filho querido, Deus te permitiu essa tentação para ganhares muito mérito; mas se não queres mais esse mérito, deixe-o”.
Que maravilha! Mal São Francisco disse essas palavras, toda tentação foi embora de repente, como se nunca a tivesse sentido em sua vida, e ficou todo consolado.
Para louvor de Jesus Cristo e do pobrezinho Francisco. Amém.

Nenhum comentário:

VISITANTES

QUEM SOMOS?

Com certeza você já ouviu falar de nós. SOMOS OS FRANCISCANOS, os irmãos menores. Com estas três palavras quase que lhe dissemos tudo: somos seguidores de Jesus Cristo ao modo de São Francisco de Assis; procuramos ser irmãos de todos, homens e mulheres, crianças e adultos, plantas e animais; e, além disso, com humildade, alegria e com poucas coisas materiais. Outra coisa que lhe convém saber, é que nós, franciscanos, trabalhamos nas mais variadas áreas, conforme as competências e formação de cada um e as necessidades da Ordem, da Igreja e do povo de Deus no mundo. Procuramos ser peregrinos e forasteiros, pacíficos e humildes, e assim vamos pelo mundo sem nada de próprio, trabalhando com fidelidade e devoção, conforme nos exigem as realidades e necessidades do nosso tempo. Seguindo os passos de Cristo pobre, humilde e crucificado, que reuniu os discípulos em torno de si e lhes lavou os pés.

Nós, frades menores, vivemos em fraternidade, no serviço e no dom recíproco. Queremos continuar anunciando a mensagem de Paz e Bem ao mundo na simplicidade e união fraterna.

Tem um lugar para você aqui também!

Conhecer não te compromete!

Acertar te realiza!

DEIXE AQUI O SEU E-MAIL PARA RECEBER NOTÍCIAS

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores