ANIVERSARIANTES DO MÊS

ANIVERSARIANTES DO MÊS

Tradutor - Translator - Traduttore - Traductor - Traducteur - Übersetzer - переводчик - 翻译 - 翻訳者

CAPÍTULO XXV

Como São Francisco curou milagrosamente o leproso da alma e do corpo, e o que a alma lhe disse quando ia para o céu.

O verdadeiro discípulo de Cristo, monsior São Francisco, vivendo nesta miserável vida, com todo o seu esforço se empenhava em seguir a Cristo, o mestre perfeito. Por isso acontecia muitas vezes que, por divina operação, Deus curava a alma daquele a quem ele curava o corpo, na mesma hora, como se lê de Cristo. E como ele não só servia de boa vontade aos leprosos, mas, além disso, tinha ordenado que os frades de sua Ordem, andando ou estando pelo mundo, servissem aos leprosos pelo amor de Cristo, que por nós quis ser tido como um leproso, aconteceu uma ocasião, em um lugar próximo de onde então morava São Francisco, que os frades serviam em um hospital aos leprosos doentes.
Havia lá um leproso tão impaciente, insuportável e mau, que todo mundo tinha como certo, e era mesmo, que ele estava tomado pelo demônio, pois tratava quem o servia como um vilão, por palavras e pancadas, e, o que era pior, blasfemava ultrajando Cristo bendito e sua santíssima mãe Virgem Maria, desse modo que não se encontrava quem quisesse ou pudesse servi-lo. E ainda que os frades procurassem suportar pacientemente as injúrias e vilanias para aumentar o mérito na paciência, como sua consciência não podia suportar o que era contra Cristo e sua Mãe, decidiram abandonar esse leproso, Mas não quiseram faze-lo antes de contar em ordem a São Francisco que morava, então, em um lugar ali perto.
Quando o fizeram, São Francisco foi visitar o leproso perverso e, chegando a ele, saudou dizendo: “Deus te dê a paz, irmão meu caríssimo”. O leproso respondeu: “Que paz posso receber de Deus, que me tirou a paz e todo bem, e me fez todo podre e fedido?”.
E São Francisco disse: “Filho, tem paciência, pois as enfermidade do corpo nos são dadas por Deus neste mundo para a salvação da alma, pois são de grande mérito quando são suportadas pacientemente”. O doente respondeu: “E como posso suportar pacientemente a pena contínua que me aflige dia e noite? E não estou aflito só com minha enfermidade, mas pior me fazem os frades que tu me deste para me servirem e não me servem como devem”. Então São Francisco, conhecendo por revelação que esse leproso era possuído pelo espírito maligno, foi e se pôs em oração, pedindo devotamente a Deus por ele.
Feita a oração, voltou a ele e disse assim: “Filho, quero te servir eu mesmo, uma vez que não te contentas com os outros”. “Está bem, disse o enfermo, mas o que tu me poderás fazer mais do que os outros?”. São Francisco respondeu: “O que tu quiseres, eu farei”. Disse o leproso: “Eu quero que tu me laves inteiro, pois estou fedendo tão forte que nem eu mesmo agüento”. Então São Francisco mandou esquentar na mesma hora água com muitas ervas aromáticas, depois o despiu e começou a lavá-lo com suas mãos, e um outro frade derramava a água em cima. E por milagre divino, onde São Francisco tocava com suas santas mãos, a lepra ia embora e a carne ficava perfeitamente curada. E quando a carne começou a ser curada, também a alma foi sendo curada. Por isso, vendo o leproso que estava começando a ficar curado, começou a ter uma grande compunção e arrependimento de seus pecados, a começou a chorar muito amargamente; de modo que, enquanto o corpo ficava limpo da lepra pelo lado de fora por ser lavado pela água, a alma ia sendo limpa do pecado por dentro pela contrição e pelas lágrimas.
Quando ficou completamente curado quanto ao corpo e quanto à alma, reconheceu sua culpa e disse chorando em alta voz: “Ai de mim, eu sou digno do inferno pelas vilanias e injúrias que fiz e disse aos frades, e pela impaciência e blasfêmias que tive contra Deus”. Daí, continuou por quinze dias a chorar por seus pecados e a pedir misericórdia a Deus, confessando-se inteiramente ao padre. E São Francisco, vendo assim expresso o milagre, que Deus tinha operado por meio de suas mãos, agradeceu a Deus e foi embora dali para terras muito distantes. Pois queria fugir, por humildade, a toda glória, e em tudo que fazia buscava só a honra e glória de Deus, e não a própria.
Depois, como aprouve a Deus, o dito leproso curado no corpo e na alma, após seus quinze dias de penitência, ficou doente de outra enfermidade; e armado com os sacramentos da Igreja, morreu muito santamente. E sua alma, indo para o paraíso, apareceu no ar para São Francisco, que estava em oração em um bosque e lhe disse: “Tu me reconheces?”. “Quem és tu?”, disse São Francisco . “Eu sou o leproso que Cristo bendito curou pelos teus méritos, e agora vou indo para a vida eterna. Por isso, agradeço a Deus e a ti. Benditos sejam a tua alma e o teu corpo, e benditas sejam as tuas santas palavras e operações, pois por ti muitas almas vão se salvar no mundo. E sabe que não há dia no mundo em que os santos Anjos e outros santos não agradeçam a Deus pelos santos frutos que tua e tua Ordem fazeis em diversas partes do mundo. Por isso, conforta-te e agradece a Deus, e fica com a sua bênção”. E, ditas essas palavras, foi para o céu. E São Francisco ficou muito consolado.
Para o louvor de Jesus Cristo e do pobrezinho Francisco. Amém.

Nenhum comentário:

VISITANTES

QUEM SOMOS?

Com certeza você já ouviu falar de nós. SOMOS OS FRANCISCANOS, os irmãos menores. Com estas três palavras quase que lhe dissemos tudo: somos seguidores de Jesus Cristo ao modo de São Francisco de Assis; procuramos ser irmãos de todos, homens e mulheres, crianças e adultos, plantas e animais; e, além disso, com humildade, alegria e com poucas coisas materiais. Outra coisa que lhe convém saber, é que nós, franciscanos, trabalhamos nas mais variadas áreas, conforme as competências e formação de cada um e as necessidades da Ordem, da Igreja e do povo de Deus no mundo. Procuramos ser peregrinos e forasteiros, pacíficos e humildes, e assim vamos pelo mundo sem nada de próprio, trabalhando com fidelidade e devoção, conforme nos exigem as realidades e necessidades do nosso tempo. Seguindo os passos de Cristo pobre, humilde e crucificado, que reuniu os discípulos em torno de si e lhes lavou os pés.

Nós, frades menores, vivemos em fraternidade, no serviço e no dom recíproco. Queremos continuar anunciando a mensagem de Paz e Bem ao mundo na simplicidade e união fraterna.

Tem um lugar para você aqui também!

Conhecer não te compromete!

Acertar te realiza!

DEIXE AQUI O SEU E-MAIL PARA RECEBER NOTÍCIAS

Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores